Havia uma gruta
perto de Belém;
havia um Menino
nos braços da Mãe.

E uma fogueira,
que a noite era fria,
apesar dos braços
de Santa Maria.

E havia uma luz
fora do normal;
parecia que a cena
não era real.

Mas era, mas era…
Era tão real
que já todos sabem:
falo do Natal.

Além de Maria,
além de José,
o boi e a vaca
mesmo ali ao pé.

Maria feliz,
José tão contente…
O frio é bem grande,
mas ninguém o sente.

Quando o coração
está cheio de amor,
se o corpo nos dói
não se sente a dor.

Chegaram pastores,
estão ali em pé…
«Podemos entrar,
senhor S. José?»

«Que lindas canções
ouvimos lá fora!
Queremos ver Jesus,
já vamos embora…»

«Que coisa tão estranha
foi acontecer….
Mas como é que Deus
veio aqui nascer?!»

«Não era melhor
nascer lá no céu? »
disse um dos pastores
tirando o chapéu.

«Era melhor, era…»
Disse outro pastor,
«No céu há de tudo
e há também calor!»

«Mas se foi assim,
é porque assim quer
O Deus que quis ser
Filho de mulher.»

«Trouxemos ovelhas,
não temos mais nada…;
Mas vamos daqui
com a alma lavada!»

E lá regressaram
para a noite fria:
adeus a Jesus,
José e Maria.

E até nos parece
que a história acabou;
Pois saibam que agora
é que começou…