Paulo Geraldo – textos em verso

Vinhas de longe

Havemos de chorar, se tu partires… Não à tua frente,
Mas as nossas ovelhas e os olivais da colina
E o velho moinho saberão que estamos tristes.

Urna branca

Funeral. Há quem chore por estar triste
E há quem chore
Por lembrar que a morte existe.

Uma carta

Eu seria capaz de deixar isto e procurar-te
Nas minhas mãos há um cansaço destas coisas todas
Estar em casa é semelhante a nunca estar em casa
E sobra-me esta paz de estar aqui nos meus chinelos

Voltar ao topo