É bom saber que estás aí
e te sentas junto ao poço
com o teu sorriso
É bom saber que o tempo
não te levou de o que eras

Um dia voltarei destas loucuras
cansado de correr atrás
nem sei de quê
Voltarei e haverá o meu lugar
no teu regaço

Tu não mudas
És aquela que está de pé
e desafia o vento
e esperas muda que eu desista
e regresse dobrado pelo peso
deste tão grande cansaço
Tens um lugar sempre para mim
no teu regaço